Editorial: Alta confusão, baixas expectativas