Editorial: Corporativismo e insensibilidade