Eliane: ‘Bolsonaro deve sair do hospital mais em campanha que governando’

Laís Gottardo

04 de janeiro de 2022 | 10h07

Cantanhêde resgata a história política do País para afirmar que política e eleições são feitas, também, na ordem do imponderável: “A nova hospitalização do presidente Jair Bolsonaro são um alerta: a eleição não está decidida e muita água ainda vai rolar embaixo da ponte até outubro, desde puros golpes de sorte a ataques sórdidos, sem descartar o ‘imponderável’, tão presente na história brasileira. O próprio Bolsonaro é um exemplo, depois de sofrer em 2018 uma facada que, na mesma intensidade, ameaçou sua vida e sedimentou sua vitória”.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, vão se reunir nesta terça-feira com a direção da Sebastiana, associação que representa 11 dos principais blocos de carnaval do Rio, para debater a realização ou não dos desfiles em 2022. Algumas cidades em que os desfiles são tradicionais, como Salvador, já anunciaram o cancelamento das exibições para o próximo carnaval por conta da pandemia de covid-19. Dois grandes blocos cariocas (o Bloco da Preta, criado por Preta Gil, e a Banda de Ipanema) já decidiram não desfilar.

#PerguntePraEliane

Os ouvintes podem mandar perguntas para Eliane Cantanhêde pelas redes sociais da Eldorado e pelo WhatsApp no quadro #PerguntepraEliane. Para participar, basta encaminhar suas perguntas com essa hashtag para o perfil da Rádio Eldorado no Facebook, cujo endereço é facebook.com/radioeldorado. O perfil do Twitter é @eldoradoradio e do Instagram, @radioeldorado. O telefone para participar via WhatsApp é (11) 99481-1777.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Editorial Estadão”) para você ter acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.