Eliane: “Ribeiro colocou pastores no MEC ou cumpriu ordens de Bolsonaro?”

Laís Gottardo

29 de março de 2022 | 10h16

O pastor Milton Ribeiro pediu demissão do comando do Ministério da Educação nesta segunda-feira, 28, após denúncias de corrupção na pasta serem reveladas pelo Estadão. Nos últimos dez dias, uma série de reportagens mostrou o lobby feito pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura no MEC, que passaram a facilitar o acesso ao então ministro. Os religiosos foram acusados por prefeitos de cobrar propina em dinheiro, em compras de bíblias e até em ouro. “Ribeiro finge que pede demissão, Bolsonaro finge que aceita, mas na verdade ele foi demitido porque perdeu apoio no governo e começou a fazer mal ao presidente”, afirma Cantanhêde.

O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir Joaquim Silva e Luna da presidência da Petrobras. Sob fritura há semanas desde a explosão de preços dos combustíveis com a guerra na Ucrânia, o general da reserva do Exército, estava há apenas um ano no cargo. Será substituído pelo diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. “Todos os presidentes da Petrobras cometeram o mesmo erro: não fazer o jogo político/eleitoral de Bolsonaro. Dentro ou fora do Congresso ninguém acredita que Pires vai mudar a rota dos comandos anteriores, ele vai manter a política de preços”, diz Eliane.

#PerguntePraEliane

Os ouvintes podem mandar perguntas para Eliane Cantanhêde pelas redes sociais da Eldorado e pelo WhatsApp no quadro #PerguntepraEliane. Para participar, basta encaminhar suas perguntas com essa hashtag para o perfil da Rádio Eldorado no Facebook, cujo endereço é facebook.com/radioeldorado. O perfil do Twitter é @eldoradoradio e do Instagram, @radioeldorado. O telefone para participar via WhatsApp é (11) 99481-1777.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Editorial Estadão”) para você ter acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.