‘Estadão Notícias’: Após ataque, crise do petróleo pode acabar em guerra? Podcast analisa o tema
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estadão Notícias’: Após ataque, crise do petróleo pode acabar em guerra? Podcast analisa o tema

Emanuel Bomfim

17 de setembro de 2019 | 06h00

Os ataques a um dos principais centros de produção e processamento de petróleo da Arábia Saudita aumentaram a escalada de tensão entre Estados Unidos e Irã. Desde sábado, quando os drones atingiram a petroleira Aramco, os americanos tentam jogar a responsabilidade para o país persa, ainda que não haja uma confirmação da origem. O Irã nega a autoria.

As consequências dos ataques são múltiplas e extensas, de ordem econômica, militar e diplomática. Os Estados Unidos e Arábia Saudita podem lançar um ataque de retaliação nos próximos dias? Qual impacto econômico em escala global? O combustível vai ficar mais caro no Brasil?

 

Edição de hoje (17) analisa a mais nova crise do petróleo com as participações da correspondente do Estadão nos EUA, Beatriz Bulla, do economista Livio Ribeiro (FGV) e do repórter especialista em segurança e estratégia militar, Roberto Godoy.

 

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

 

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

 

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

 

(Foto: Reuters)

 

Tendências: