‘Estadão Notícias’: Governo está na berlinda, diz Erundina após morte de Marielle Franco
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estadão Notícias’: Governo está na berlinda, diz Erundina após morte de Marielle Franco

Emanuel Bomfim

16 Março 2018 | 06h00

Edição desta sexta-feira, 16, traz algumas repercussões sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e do motorista que a acompanhava, Anderson Pedro Gomes. O crime brutal ocorreu na noite de quarta-feira (14), na região central do Rio de Janeiro. Ao longo do dia de ontem, diversas manifestações ganharam as ruas das capitais pelo Brasil, mesclando um clima de solidariedade aos familiares das vítimas e de revolta com a situação da segurança pública no País, em especial a do Rio de Janeiro. Autoridades do governo federal, estadual e municipal se revezaram em coletivas, discursos e pronunciamentos para tentar das respostas à sociedade brasileira. Prometeram pressa, objetividade e cooperação na elucidação do caso.

Ouvimos aqui no programa a opinião da deputada federal Luiza Erundina (PSOL). Ela lamentou o fim trágico “de uma liderança com grandes perspectivas” e disse que agora o “governo está na berlinda” sobre manter ou não a intervenção federal no Rio. “Está aprovado que não teve eficácia nenhuma a elevação no contingente das Forças Armadas”, declarou. Ainda dentro deste tema, edição de hoje conversa com Nadine Gasman representante do Escritório da ONU Mulheres no Brasil. Ela estava em Nova York quando soube da morte da vereadora Marielle Franco, durante um encontro global sobre Direito das Mulheres, na sede das Nações Unidas.

 

“Estadão Notícias” de hoje ainda vai a Brasília e conta como anda a guerra de retóricas e ações envolvendo o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

 

Vereadora Marielle Franco em uma sessão da Câmara, no Rio (Foto: Renan Olaz/CMRJ)