‘Estadão Notícias’: O sarampo de volta ao País
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estadão Notícias’: O sarampo de volta ao País

Gustavo Lopes Alves

19 de abril de 2019 | 06h00

Nesta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que o número de casos de sarampo no mundo aumentou cerca de 300% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2018. Os recentes surtos pelo mundo causaram muitas mortes, principalmente de crianças. Neste ano, o Brasil perdeu o status de país livre do sarampo. O retorno da doença no País teve início no ano passado. Os primeiros casos foram registrados nos estados do Norte, região que recebeu um grande número de refugiados da Venezuela, país que já enfrentava um surto de sarampo. O professor de Infectologia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Roberto Focaccia, acredita que o retorno da doença tem relação com a crise migratória, mas lembra que a falta de vacinação também contribui para o problema. Segundo o infectologista, os estudos mostram que o lobby feito sobre os malefícios das vacinas não são verdadeiros.

O professor de Infectologia da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Roberto Focaccia, adverte que o sarampo se dissemina com grande facilidade, e que por isso as crianças são as mais atingidas. De acordo com o especialista, alguns fatores podem tornar a doença mais grave, como a desnutrição, por exemplo.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Foto: Ministério da Saúde