‘Estadão Notícias’: Rosa Weber terá uma postura rigorosa na presidência do TSE, afirma especialista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estadão Notícias’: Rosa Weber terá uma postura rigorosa na presidência do TSE, afirma especialista

Gustavo Lopes Alves

14 Agosto 2018 | 06h00

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, assume, nesta terça-feira (14), a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 2020. Como primeiro grande desafio, a magistrada terá que se debruçar sobre o registro da candidatura do ex-presidente Lula, condenado e preso na Lava Jato. Seu antecessor, ministro Luiz Fux já havia emitido opinião de que a lei da ficha limpa é clara nestes casos. No entanto, Rosa Weber se mantém mais reservada quando perguntada sobre o assunto. Além disso, a ministra terá a árdua tarefa de comandar um combate às ‘fake news’, que é um tema de grande preocupação durante as campanhas eleitorais.

Para o professor do IDP e da USP, e especialista em direito eleitoral, Daniel Falcão, não haverá grandes mudanças no comando da Corte, já que tanto o ministro Luiz Fux, como a ministra Rosa Weber, tem uma postura bastante rigorosa contra políticos que apresentam problemas eleitorais.

Ainda no programa, o crescimento das candidaturas de militares nas eleições deste ano. O número de candidatos originários das Forças Armadas, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros quase dobrou em relação ao pleito de 2014. O Estadão identificou pelo menos 25 militares, da ativa ou da reserva, que vão concorrer a presidente, vice-presidente, governador ou vice-governador, ante 13 nomes na eleição passada. Conversamos com o jornalista Roberto Godoy sobre o assunto.

Na coluna “Direto ao Assunto” de hoje, José Nêumanne Pinto comenta as declarações do diretor-geral da Polícia Federal Rogério Galloro sobre a prisão de Lula.

AFP PHOTO / EVARISTO SA