‘Estadão Notícias’: Última flechada dificilmente será mortal, analisa cientista político
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estadão Notícias’: Última flechada dificilmente será mortal, analisa cientista político

Emanuel Bomfim

15 Setembro 2017 | 06h00

Edição desta sexta-feira, 15, do programa entrevista Cláudio Couto, professor da FGV, para falar sobre o impacto político da segunda denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer. As acusações são de obstrução da Justiça e participação em organização criminosa que teria recebido ao menos R$ 587 milhões de propina. “Esse presidente já se mostrou com uma grande resiliência, um presidente com imensa capacidade de sobreviver a flechadas”, afirma Couto. Segundo ele,  “é muito difícil que esses novos elementos produzam o chamado fato novo”. Couto ainda lembra que os índices econômicos, caso sigam positivos, poderão fortalecer ainda mais a figura do presidente. Ouça no player abaixo.

Para analisar o aspecto jurídico da denúncia, o “Estadão Notícias” ouviu Daniel Falcão, professor do Instituto de Direito Público, especialista em direito eleitoral e constitucional. Confira também os comentário de Andreza Matais, editora da ‘Coluna do Estadão’.

 

Para participar do programa com seus comentários ou opiniões, mande um email para: podcast@estadao.com

 

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

O ‘Estadão Notícias’ é um dos poucos podcasts disponibilizados na plataforma de streaming Spotify (conhecida pelo acervo musical). Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de buscas. Ou pode clicar diretamente neste link.

Antes de deixar o cargo de procurador-geral, Janot disparou sua última flechada (Foto: Dida Sampaio)