Expresso: Brasil terá primeira vacina 100% nacional

Laís Gottardo

07 de janeiro de 2022 | 13h27

A Anvisa aprovou o registro do insumo farmacêutico ativo (IFA) fabricado pela Fiocruz da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19. Com a aprovação, o Brasil terá essa vacina produzida totalmente em território nacional. Essa etapa era a última do processo de transferência de tecnologia da produção da vacina. A Anvisa aprovou o registro do insumo farmacêutico ativo (IFA) fabricado pela Fiocruz da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19. Com a aprovação, o Brasil terá essa vacina produzida totalmente em território nacional. Essa etapa era a última do processo de transferência de tecnologia da produção da vacina.

A partir desta sexta-feira, bares e restaurantes terão de fechar às 22 horas e festas, comemorações e reuniões estão proibidas em Amparo, no interior de São Paulo. O decreto, publicado no jornal oficial do município, proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em locais abertos, com calçadas e vias públicas. A medida vigora até o dia 31 deste mês. A cidade, que fica na região turística conhecida como Circuito das Águas, na região de Campinas, é a primeira do interior a retomar a quarentena no Estado, nesta nova fase da pandemia de covid-19.

E ainda: a covid traz a quarentena de volta ao radar e causa surto no futebol paulista. Ouça estas e outras notícias desta sexta-feira, 07, no “Eldorado Expresso”.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!
Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.