Expresso: Fase Emergencial começa na segunda-feira, 15, em São Paulo

Laís Gottardo

11 de março de 2021 | 13h54

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), determinou que todo o Estado estará em “fase emergencial” entre a próxima segunda-feira, 15, e 30 de março. A nova classificação prevê restrições a 14 atividades, o que deve restringir a circulação de 4 milhões de pessoas diariamente. Estará vetado o funcionamento presencial de lojas de construção, celebrações religiosas, atividades esportivas coletivas e serviços de retirada de compras (“take away”). Além disso, o home office será obrigatório em órgãos públicos, escritórios e “quaisquer atividades desde que o setor não seja essencial”. Também foi determinado um toque de recolher entre as 20 e as 5 horas, diariamente.

Governadores de 24 Estados brasileiros e do Distrito Federal assinaram nesta terça-feira, 9, Pacto Nacional em Defesa da Vida e da Saúde a fim de reforçar “a luta contra a pandemia de coronavírus”. O texto pede a criação de um Comitê Gestor para o enfrentamento à doença, “mediante participação dos Três Poderes da República e de todos os níveis da Federação, e a assessoria de comissão de especialistas”.

E mais: a longa novela da volta do auxílio emergencial e a gasolina puxando a alta da inflação.

Ouça essas e outras notícias desta quinta-feira, dia 11, no “Eldorado Expresso”.

 

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!
Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.