Expresso: Inflação de 10,06% é a maior desde 2015

Laís Gottardo

11 de janeiro de 2022 | 13h27

Puxado principalmente pelos combustíveis, gás de cozinha e energia elétrica, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial de inflação do País, fechou o ano em 10,06%. É o maior patamar desde 2015, no governo Dilma Rousseff, quando ficou em 10,67%. Com isso, o resultado em 2021 ficou consideravelmente acima da meta de 3,75% perseguida pelo Banco Central para o ano, chegando quase ao dobro do teto de tolerância, de 5,25%. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, terá, por conta disso, de enviar uma carta o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, explicando as razões de não ter conseguido cumprir a meta.

Em meio à proliferação da variante Ômicron do novo coronavírus, o mundo registrou pela primeira vez mais de 3 milhões de casos de covid-19 em apenas 24 horas. É o 4º recorde diário de novos infectados nos últimos 8 dias. Foram 3,28 milhões de novos casos só ontem, segundo dados compilados e divulgados nesta terça-feira pelo “Our World in Data”, projeto ligado à Universidade de Oxford.

E mais: alerta para temporais em cinco estados do Brasil e o uso massivo do Tik Tok por jovens do País. Ouça estas e outras notícias desta terça-feira, 11, no “Eldorado Expresso”.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!
Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.