Expresso: Ministros do STF não devem antecipar CPI do MEC

Laís Gottardo

06 de julho de 2022 | 13h27

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que está trabalhando nesta primeira quinzena de julho, durante o recesso do Judiciário, se mostra disposta a evitar novos embates políticos. Com isso, ficam reduzidas as chances de a oposição obter uma decisão favorável, caso recorra à Corte para assegurar a abertura da CPI do Ministério da Educação.

A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Benefícios, também chamada de “PEC Kamikaze”, em comissão especial da Câmara foi adiada na madrugada desta quarta-feira, 6, após um pedido de vistas. Antes do adiamento, o relator, Danilo Forte (União Brasil-CE), chegou a ler seu relatório final. A reunião teve início ainda na noite de terça-feira, 5, mas se estendeu em meio a críticas e embates protagonizados pela oposição.

Mais: o que muda com a chegada da tecnologia 5G a partir de hoje em Brasília e o início da venda da “pílula da ressaca” na Europa. Ouça estas e outras notícias desta quarta-feira, 06, no “Eldorado Expresso”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.