Expresso: Pagamentos do Auxílio Brasil começam nesta quarta

Laís Gottardo

17 de novembro de 2021 | 13h58

O governo começa hoje os pagamentos do Auxílio Brasil, programa social que substitui o Bolsa Família. Por enquanto, os recursos necessários para um benefício mensal de ao menos R$ 400, como prometeu o presidente Jair Bolsonaro, ainda não estão garantidos e dependem de o Congresso aprovar espaço fiscal de R$ 51 bilhões. Em novembro, o valor médio do Auxílio Brasil será de aproximadamente R$ 224.

O governo Jair Bolsonaro tem usado diversas estratégias, como a impressão prévia de provas e a análise do banco de questões por comitês externos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), para tentar controlar o conteúdo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Servidores que pediram exoneração do órgão federal falam em pressão para trocar questões e o Estadão apurou que já houve supressão de itens “sensíveis” na prova que será aplicada nos dias 21 e 28 de novembro. Segundo relatos à reportagem, 24 questões foram retiradas após uma “leitura crítica”, sob o argumento de serem “sensíveis”. Depois, 13 delas voltaram a ser incluídas e 11 foram vetadas.

E mais: a conta que não fecha para Jair Bolsonaro dar aumento ao funcionalismo e os preparativos para a dose de reforço contra a covid em São Paulo. Ouça estas e outras notícias desta quarta-feira, 17, no “Eldorado Expresso”.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!
Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!
Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.