Militares avançam dentro do governo Bolsonaro; ouça no ‘Estadão Notícias’

Militares avançam dentro do governo Bolsonaro; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

28 de maio de 2020 | 06h00

Com a fragilidade e as crises constantes que assolam o governo Bolsonaro, o presidente passou a contar com uma rede de proteção formada por alas aparentemente inconciliáveis: militares e figuras do centrão. Os militares já estavam presentes em diversos postos de comando, mas agora estão em maior número, especialmente no Ministério da Saúde. A novidade são os partidos deste bloco informal no Congresso, “convocados” para ajudar na sobrevivência política de Bolsonaro. Em paralelo à ocupação de cargos, generais do governo passaram a criticar publicamente a atuação de outras instituições e poderes da República, como o Supremo Tribunal Federal, inclusive, com ameaças à ordem democrática.

Na edição de hoje, conversamos sobre esses assuntos com o repórter do Estadão em Brasília, Mateus Vargas, e o repórter especial, Roberto Godoy. No quadro “Fique em Casa”, Renata Cafardo entrevista o cantor e compositor Simoninha sobre como está encarando o período de quarentena e autoisolamento.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.