Moro parcial: os efeitos políticos e jurídicos; ouça no ‘Estadão Notícias’

Moro parcial: os efeitos políticos e jurídicos; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

24 de março de 2021 | 00h10

Mais uma derrota para a Operação Lava Jato. Na tarde desta terça-feira, 23, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 3 votos a 2, que o ex-juiz federal Sérgio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação do triplex do Guarujá.

Há algumas semanas, o julgamento havia sido interrompido depois que o ministro Kassio Nunes Marques pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar as provas do caso. Na terça, Nunes Marques surpreendeu ao votar contra a suspeição de Moro.

O placar virou com a mudança de voto da ministra Cármen Lúcia, que alterou seu voto de dezembro de 2018. Em seu novo voto, a ministra fez críticas à “espetacularização” de eventos como a condução coercitiva de Lula em março de 2016 e a divulgação do áudio da conversa entre o petista e a também ex-presidente Dilma Rousseff.

Com a decisão da Segunda Turma, o caso volta à estaca zero. Mas o que representa essa reviravolta para o legado da Lava Jato, de Sergio Moro e para o futuro político de Lula?

No episódio de hoje, analisamos o cenário com o cientista político Carlos Melo, professor do Insper, e a advogada criminalista Cecília Mello.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Ana Paula Niederauer e Bárbara Rubira

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Tudo o que sabemos sobre:

Sergio MoroSTFlava jatoLula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.