As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: 30% dos crimes contra a vida prescrevem antes da punição, plano do BC causa atrito no mercado financeiro e arte em família

Emanuel Bomfim

02 de março de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino e Gustavo Toledo

Na edição desta segunda-feira (2), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Política, cerca de 30% das ações sob responsabilidade do Tribunal do Júri – responsável por julgar crimes intencionais contra a vida – perdem a validade pela longa tramitação dos processos. A estimativa é do Conselho Nacional de Justiça. Esses tribunais de primeira instância julgam crimes como homicídio, aborto e incitação ao suicídio. A prescrição impede a punição de réus e reforça a sensação de impunidade. O presidente do STF, Dias Toffoli, entregou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, proposta para agilizar julgamentos. Em Economia, o Banco Central pretende criar até o fim deste ano um sistema de intercâmbio de dados de usuários entre bancos. O objetivo do chamado open banking é disponibilizar o histórico de pagamento dos tomadores de crédito e possibilitar uma maior competição entre as instituições financeiras. Mas o plano já causa atritos entre pequenos e grandes instituições e corre o risco de acabar inviabilizado. No Caderno 2, peça em São Paulo reúne Antonio Pitanga e seus filhos, Rocco e Camila.

Ouça abaixo:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: