‘Notícia No Seu Tempo’: agressores de mulher e homicidas não vão ter juiz de garantias, Putin manobra para permanecer no poder e País perdeu 17 fábricas por dia

Emanuel Bomfim

16 de janeiro de 2020 | 05h00

Por Cadu Cortez e Adriana Cimino
Na edição desta quinta-feira (16), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Política, além de adiar por seis meses a implantação do juiz de garantias, o presidente do STF e do CNJ, Dias Toffoli, reduziu o alcance da atuação desse magistrado. Toffoli determinou que o juiz de garantias não atue em casos de violência doméstica e familiar, nos crimes contra a vida e nos processos criminais na Justiça Eleitoral. A medida cautelar deve ser apreciada pelo plenário do Supremo. No caderno Internacional, presidente da Rússia Vladimir Putin propôs uma reforma constitucional que abre caminho para que se mantenha no poder após 2024. O primeiro-ministro, Dimitri Medvedev, renunciou ao cargo. Já em Economia, levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostra que pelo menos 17 fábricas fecharam as portas por dia no Brasil ao longo de quatro anos.
Ouça no player abaixo:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.