‘Notícia No Seu Tempo’: ala militar impõe obras e equipe de Guedes diz que não há verba, SP pode retomar economia na quarentena e, no Pará, doentes dormem na fila

Emanuel Bomfim

23 de abril de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta quinta-feira (23), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Economia, sem a presença de integrantes da equipe do ministro Paulo Guedes (Economia), o governo apresentou ontem um programa de recuperação econômica pós-covid-19. O anúncio do plano Pró-Brasil, apoiado pela ala militar do Planalto, foi feito pelo ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto. O general coordenará os trabalhos, que preveem aumento dos gastos com investimentos públicos para os próximos anos. Na reunião de ministros para o pré-lançamento do plano, Guedes avisou que a recuperação terá de ser feita com investimento privado e que as âncoras fiscais do governo, como o teto de gastos, serão mantidas. Em Metrópole, o governador João Doria (PSDB) anunciou que pode adotar medidas para abertura econômica do Estado de São Paulo, mesmo com a ampliação da quarentena para depois de 10 de maio. Ainda no caderno Metrópole, pessoas em busca de atendimento – muitas delas com sintomas de covid-19 – fazem fila na Policlínica Metropolitana de madrugada, em Belém. Com muitos doentes, poucos leitos e escassez de profissionais de saúde, o Pará decidiu recorrer a médicos cubanos. A Procuradoria-Geral do Estado liberou a contratação de 86 profissionais estrangeiros para reforçar os quadros das unidades de saúde.

Ouça abaixo:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.