As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: Bolsonaro queria alguém com ‘afinidade’, diz ex-diretor da PF, Força e UGT propõem corte de salário como política para crise e ruas mais vazias e vagões mais cheios em SP

Emanuel Bomfim

12 de maio de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta terça-feira (12), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Política, em depoimento de cerca de seis horas, o ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo disse que o presidente Jair Bolsonaro queria alguém com quem tivesse maior “afinidade” no comando da PF, conforme antecipado pelo estadão.com.br. Ouvido como parte do inquérito que analisa se Bolsonaro interferiu politicamente na PF, conforme acusou o ex-ministro Sérgio Moro, Valeixo disse que se sentia “desgastado” pela pressão do Planalto para uma troca no comando da corporação no Rio. No caderno Economia, Força Sindical e União Geral dos Trabalhadores (UGT), que representam um quarto dos trabalhadores sindicalizados, defendem transformar em política permanente para momentos de crise a possibilidade de redução de jornada de trabalho e de salário, em troca da preservação do emprego. Na atual crise, já foram celebrados mais de 6,5 milhões de acordos para suspensão de contrato e redução de jornada e salários. Já em Metrópole, no primeiro dia do rodízio ampliado na cidade de SP, pico de congestionamento de manhã foi de 1 km, mas movimento no metrô e nos trens cresceu até 15%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: