‘Notícia No Seu Tempo’: com alta de infecções,festas de ano-novo viram briga na Justiça, Ministério da Saúde compra menos de 3% de seringas necessárias e demissão de médico gera atritos para Fux no STF

Emanuel Bomfim

30 de dezembro de 2020 | 05h00

Por Gustavo Toledo

Na edição desta quarta-feira (30), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Metrópole, prefeituras de cidades turísticas e organizadores de eventos estão travando batalhas na Justiça para conseguir liberar megafestas de réveillon por todo o País. Eles afirmam seguir protocolos de segurança, e alguns até pedem exame recente de covid-19, mas as medidas são consideradas inócuas por especialistas. Também em Metrópole, o Ministério da Saúde garantiu compra de 7,9 milhões de seringas e agulhas para vacinação em pregão realizado ontem. Isso corresponde a apenas 2,4% das 331 milhões de unidades que a pasta pretendia arrematar. No caderno Política, a exoneração do médico Marco Polo Freitas, após pedido ao Butantã e à Fiocruz para reservarem 7 mil doses de vacina contra coronavírus para imunizar ministros, servidores e colaboradores, causou nova crise no STF. Presidente da Corte, Luiz Fux foi alvo de críticas de colegas por ter retirado Freitas do cargo de secretário de Serviços Integrados de Saúde.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.