As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: crise derruba renda de microempreendedor para um salário, mundo passa de 500 mil mortos pelo coronavírus e Saúde gasta menos de 1/3 de verba contra pandemia

Emanuel Bomfim

29 de junho de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta segunda-feira (29), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Economia, a crise provocada pela pandemia derrubou a renda dos microempreendedores individuais (MEIs). Sete em cada dez estão ganhando menos de US$ 200 por mês (R$ 1.088, valor próximo do salário mínimo, de R$ 1.045). Antes da pandemia, oito em cada dez recebiam acima desse valor. Os dados são de pesquisa feita em maio pela fintech Neon e pelo fundo de venture capital Flourish com 1.600 pessoas. No caderno internacional, seis meses após o alerta para o aparecimento do novo coronavírus, a covid-19 matou 500 mil pessoas e deixou 10 milhões de infectados em todo o mundo, marcas atingidas ontem, segundo a Universidade Johns Hopkins. EUA e Brasil respondem por mais de um terço das mortes. Em Metrópole, o Ministério da Saúde gastou até agora R$ 11,5 bilhões dos R$ 39,3 bilhões liberados para a pasta pelo governo para o enfrentamento da pandemia – ou 29,3%. Mais R$ 2,1 bilhões (5,3%) estão comprometidos com o pagamento de contas. Os dados são do Painel do Orçamento Federal. O ministério informa que parte das despesas não executadas é relativa a aquisições diretas, pagas após a entrega. Especialista vê falha de gestão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: