‘Notícia No Seu Tempo’: governo quer militares na Amazônia até o fim de 2022, vereadores usam verba de emendas para festas e indústria perde participação no investimento estrangeiro

Emanuel Bomfim

08 de setembro de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta terça-feira (08), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Metrópole, o governo Jair Bolsonaro planeja manter as Forças Armadas no combate às queimadas e ao desmatamento ilegal na Amazônia até o fim de 2022. A ideia é estender ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), realizadas em 2019 e neste ano, na chamada Operação Verde Brasil. No caderno Política, cerca de 40% das verbas de emendas parlamentares no atual mandato foram usadas pelos vereadores da capital para promover festas, shows, eventos culturais e campeonatos esportivos. Os pagamentos são feitos sem licitação para entidades. Já em Economia, investidores estrangeiros estão apostando menos na indústria e mais no setor primário, em especial na extração de petróleo e minerais, e no de serviços. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais (Sobeet), a fatia da indústria caiu de 34,6% ao ano, em média, de 2011 a 2018, para 22,7% de 2019 a junho de 2020.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.