As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: investidor do País supera estrangeiro e sustenta alta da Bolsa, MEC exige cabelo preso em escola cívico-militar e coronavírus faz País decretar emergênciacoro

Emanuel Bomfim

04 de fevereiro de 2020 | 05h00

*Por Adriana Cimino e Cadu Cortez

Na edição desta terça-feira (4), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Economia, com a taxa de juros do País no menor nível da história, a participação nacional na B3 ultrapassou o capital estrangeiro (52% a 48%) pela primeira vez desde 2014. Apesar de os investidores externos terem retirado R$ 40 bilhões, o movimento da Bolsa de Valores de SP cresceu em 2019 e a expectativa para este ano é de que a tendência se mantenha pela necessidade de busca de alternativas para remuneração do capital. A saída dos estrangeiros contrariou as previsões de que a reforma da Previdência atrairia capital para o País. No caderno Metrópole, manual do MEC com regras de vestuário e comportamento que alunos de escolas cívico-militares devem seguir exige dos meninos estar “bem barbeados” e ter o cabelo cortado de modo a “manter nítidos os contornos junto às orelhas e o pescoço”. As meninas precisam ter cabelo “cuidadosamente arrumado” para o uso correto da boina. O governo quer implementar a transformação em 54 colégios de ensino médio e fundamental em 2020. Também em Metrópole, mesmo sem casos confirmados no País, o governo decretou “emergência de saúde pública em território nacional” por causa do coronavírus e elevou o risco ao nível 3, o mais alto na escala.

Ouça no player abaixo:

Tendências: