As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: recorde de consignado para aposentado preocupa governo, China admite que falhou na contenção do coronavírus e União paga pensão a 52 mil filhas solteiras

Emanuel Bomfim

05 de fevereiro de 2020 | 05h00

*Por Adriana Cimino e Cadu Cortez

Na edição desta quarta-feira (5), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Economia, o total das dívidas de aposentados e pensionistas do INSS no crédito consignado bateu recorde em 2019 e chegou a R$ 138,7 bilhões, 11% mais que no ano anterior. O assédio dos bancos a essa clientela preocupa o governo, que tenta evitar que a prática se torne abusiva e trabalha para a diminuição dos juros – em 2019, eles foram de, em média, 22,2%. Como o desconto é feito diretamente nas aposentadorias e pensões, o nível dos calotes acima de 90 dias (2,6%) é um dos mais baixos do mercado. No caderno Metrópole, governo chinês admitiu ‘insuficiências’ na resposta ao surto e prometeu ‘medidas resolutivas’ para manter estabilidade do país. Brasileiros que serão resgatados na China ficarão de quarentena em base militar em Anápolis (GO). Já em Política, o Poder Executivo paga pensão a pelo menos 52 mil filhas solteiras de funcionários públicos que trabalharam para a União até 1990. De acordo com lei de 1958, elas têm direito ao benefício pelo fato de não terem casado oficialmente.

Ouça no player abaixo:

Tendências: