‘Notícia No Seu Tempo’: STF decide que quem não se vacinar pode ficar sujeito a sanções, País volta a registrar mil mortes diárias por covid e ação no Supremo tenta rever veto a juiz de garantias

Emanuel Bomfim

18 de dezembro de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta sexta-feira (18), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Em Metrópole, o Supremo Tribunal Federal decidiu, por 10 votos a 1, permitir a vacinação obrigatória contra o novo coronavírus. A Corte entendeu que Estados e municípios podem decidir sobre a obrigatoriedade da imunização e impor sanções para quem se recusar a ser vacinado, desde que amparadas em lei. Ainda em Metrópole, depois de três meses, o Brasil voltou a registrar mais de mil mortes diárias por covid-19. O avanço de infectados, de internações e de óbitos ocorre no momento em que apenas um terço da população mantém o isolamento social. Já no caderno Política, um grupo de advogados apresentou ao STF habeas corpus coletivo contra liminar do ministro Luiz Fux que suspendeu por tempo indeterminado a implantação do juiz de garantias.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.