As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Notícia No Seu Tempo’: trabalhador enfrenta espera por vaga como entregador de aplicativo, crise amplia UTIs do SUS, mas uso no futuro é incerto e Temor por Moro leva Centrão a apoiar Bolsonaro

Emanuel Bomfim

20 de julho de 2020 | 05h00

Por Adriana Cimino, Alessandra Romano e Gustavo Toledo

Na edição desta segunda-feira (20), o ‘Notícia No Seu Tempo’ traz o resumo das principais informações da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. No caderno Economia, mais um impactante retrato da crise econômica provocada pela pandemia da covid-19 no País, uma legião de trabalhadores busca alternativa de renda em aplicativos de entrega. A intensa procura por um plano B de sobrevivência “entupiu” as empresas com pedidos de cadastro e o resultado é uma enorme fila de espera em várias cidades. São pessoas que aguardam meses a fio para conseguir acesso às plataformas e ganhar algum dinheiro. Em Metrópole,  em quatro meses de coronavírus, o Sistema Único de Saúde (SUS), criado em 1988, teve sua maior ampliação de infraestrutura. São quase 10 mil novos leitos de UTI somados à rede, que antes tinha 17,9 mil vagas, informa Bruno Ribeiro. Nas regiões onde a crise dá sinais de arrefecimento, porém, gestores públicos temem não ter recursos suficientes para manter o avanço depois da reabertura. Em Política, o receio de uma possível candidatura de Sergio Moro à eleição presidencial de 2022 faz com que políticos do chamado Centrão apoiem Jair Bolsonaro, opondo-se a seu impeachment. Mais que a busca de cargos ou verbas, o grupo, que não tem um candidato de peso, volta-se, agora, para iniciativas que lhe garantam sobrevivência política e afastem o ex-ministro da Justiça da disputa eleitoral.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: