O dilema da esquerda: é hora de ir às ruas contra Bolsonaro? Ouça no ‘Estadão Notícias’

O dilema da esquerda: é hora de ir às ruas contra Bolsonaro? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

28 de maio de 2021 | 00h10

Movimentos de oposição ao governo Bolsonaro querem voltar a se manifestar nas ruas, em resposta aos últimos atos de apoio ao presidente. Neste sábado, mais de 100 cidades organizam ações para pedir o impeachment de Bolsonaro, mais rapidez na vacinação contra a Covid-19 e retorno do auxílio emergencial de 600 reais, além de manifestar apoio à CPI da Covid, em andamento no Senado.

No entanto, a esquerda brasileira vive um dilema. Defensores do isolamento social, parte dos movimentos e grupos contrários ao governo acreditam que não é o momento de se expor. Para tentar convencer o maior número de pessoas a comparecerem nas manifestações, os organizadores querem adotar regras rígidas de distanciamento e até distribuir máscaras tipo PFF2, considerada mais segura.

O fato de Bolsonaro ainda reunir multidão de apoiadores de ponta-a-ponta do País gera um temor de que os números das ruas evidenciem a ‘onda conservadora’ de forma concreta e contínua, desmontando a narrativa de que o presidente não conseguiria repetir o sucesso de 2018.

Afinal, conseguirá a esquerda mobilizar um grande número de pessoas nessa manifestação? Esses atos representam o primeiro passo para o que veremos em 2022? No episódio de hoje, vamos conversar sobre o assunto com o repórter do Estadão, Pedro Venceslau, e com uma das principais  lideranças da manifestação deste sábado, o coordenador do MTST e candidato à prefeitura de São Paulo em 2020, Guilherme Boulos (Psol-SP).

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes,  Julia Corá, Ana Paula Niederauer e Jayanne Rodrigues

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.