O novo Sete de Setembro bolsonarista

O novo Sete de Setembro bolsonarista

Por Jefferson Perleberg

13 de junho de 2022 | 00h30

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal (STF), após decisão que manteve a cassação do deputado bolsonarista Fernando Francischini, do União Brasil do Paraná. Bolsonaro ameaçou não aceitar a decisão do Supremo e afirmou estar organizando novos atos para o dia 7 de Setembro deste ano, três semanas antes das eleições.

No ano passado, o 7 de Setembro foi um dos momentos mais tensos do governo Jair Bolsonaro. Depois de uma escalada da retórica do presidente contra o Supremo, protestos foram realizados nas principais capitais do País. Nos atos, Bolsonaro fez discursos inflamados, chamando o ministro Alexandre de Moraes de “canalha” e ameaçando descumprir decisões da Corte.

O que Bolsonaro e sua família começam a perceber é que a decisão do Supremo é apenas uma demonstração do que a Corte é capaz e pretende fazer este ano para combater a desinformação.

O que pode significar e quais podem ser as consequências de um “novo 7 de Setembro” a três semanas da realização das eleições? No episódio do podcast desta segunda-feira, 13, analisamos este cenário numa conversa com a jornalista e cientista política Deysi Cioccari.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim
Produção/Edição: Jefferson Perleberg, Bárbara Rubira e Gabriela Forte
Montagem: Moacir Biasi

Presidente Jair Bolsonaro discursa em ato em Brasília, no 7 de Setembro de 2021 (Foto: Sergio Lima/AFP)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.