Parler: o novo refúgio bolsonarista na internet; ouça no ‘Estadão Notícias’

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Parler: o novo refúgio bolsonarista na internet; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

10 de julho de 2020 | 05h32

“Um lugar para chamar de seu”. Nunca uma frase fez tanto sentido para os aliados do presidente Jair Bolsonaro, que se sentem perseguidos pelas redes sociais como Twitter e Facebook. As plataformas vêm desativando contas e removendo postagens por considerar que são ofensivas e comandadas por um grupo, com o intuito de disseminar informações falsas. Foi então que surgiu o Parler, que, aos moldes do twitter, tem sido a casa de figuras da direita no mundo, como senadores americanos até o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. A rede social promete proteger o direito das pessoas escreverem o que quiser sem a ameaça de remoção do material.

Afinal, como funciona essa plataforma que já é chamada de rede social da direita? De fato, ela pode evitar que conteúdos sejam removidos? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com o diretor executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, Fabro Steibel.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: