Pesadelo à vista: caminhoneiros vão parar? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Pesadelo à vista: caminhoneiros vão parar? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

28 de janeiro de 2021 | 00h10

Em 2018, no final do governo Temer, o abastecimento de todo o território brasileiro foi impactado pela greve dos caminhoneiros, com filas, falta de produtos e aumento de preços. 

Agora, quase três anos depois, a promessa de uma nova paralisação preocupa. Os caminhoneiros ameaçam uma nova greve geral a partir de 1º de fevereiro, e sem data para acabar. Um dos principais motivos é o aumento no preço dos combustíveis, anunciado pela Petrobrás no último dia 26. Além disso, a categoria protesta contra o reajuste da tabela de frete, considerado insuficiente para cobrir o aumento dos custos.

Enquanto isso, o governo tenta acalmar os ânimos. O Ministério da Economia está estudando a possibilidade de uma redução do PIS/Cofins sobre o combustível. Mas a tarefa não é fácil. A redução precisa ser compensada com o aumento de outro tributo ou com o corte de algum subsídio. O presidente Jair Bolsonaro chegou a fazer um apelo aos caminhoneiros, pedindo que desistam da paralisação

Que impacto teria uma nova greve no território brasileiro, especialmente durante um cenário de pandemia? O que mais reivindicam os caminhoneiros? O que a situação significa para a economia do País? No episódio de hoje, conversamos com Aline Feltrin, repórter do Estradão e com a economista Juliana Inhasz, professora de economia do Insper.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. 

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Ana Paula Niederauer e Bárbara Rubira

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Tudo o que sabemos sobre:

grevecaminhoneiroseconomiacombustível

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.