Podcast: 90 anos do voto feminino: o que mudou de lá para cá?

Podcast: 90 anos do voto feminino: o que mudou de lá para cá?

Por Jefferson Perleberg

24 de fevereiro de 2022 | 00h10

Há 90 anos o Brasil passava por um momento importante para a história da democracia, em 24 de fevereiro, às mulheres conquistaram a igualdade do voto e puderam pela primeira vez ter garantido o direito de escolher seus representantes. Através de um decreto do então presidente Getúlio Vargas que instituiu o Código Eleitoral, as mulheres puderam exercer sua cidadania. 

Porém essa luta começou muito antes de 1932, pelos registros históricos, essa reivindicação despontou no Brasil no final do século 19. Em 1880, a Lei Saraiva permitia que todo brasileiro com título científico pudesse votar e, aproveitando-se disso, a cientista Isabel de Souza Mattos exigiu na Justiça o direito ao voto.

Mas as mulheres puderam votar pela primeira vez somente em 1933, quando houve a eleição para a Assembleia Nacional Constituinte. E foi essa constituinte que elaborou a Constituição de 1934, que consolidou o direito da mulher ao voto.

Hoje, as mulheres compõe a maioria do eleitorado brasileiro. São 52,6% de eleitores, segundo dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral. Mas essa superioridade não se reflete na ocupação de cargos públicos, principalmente, no legislativo. 

Neste episódio especial do Estadão Notícias sobre os 90 anos do voto feminino, vamos ouvir o relato das historiadoras Teresa Cristina de Novaes Marques, Mônica Karawejczyk e Liz Batista. Além de conversarmos com a cientista política da FGV, Graziella Testa, com a vereadora de São Paulo do PSOL, Erika Hilton, com a deputada federal do PSB, Tabata Amaral e com a senadora Simone Tebet, do MDB. E com a primeira senadora, Eunice Michilles, que esteve no Congresso Nacional entre 1979 e 1987.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Adriana Ferraz

Reportagem: Adriana Ferraz e Natália Santos

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Ana Paula Niederauer

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.