Podcast: Anúncio da vacinação de crianças foi um show de desestímulo, afirma especialista

Podcast: Anúncio da vacinação de crianças foi um show de desestímulo, afirma especialista

Por Jefferson Perleberg

06 de janeiro de 2022 | 00h10

Depois de muita demora, polêmicas e trocas de farpas, o Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira, 05, as regras para vacinação de crianças entre 5 e 11 anos. A imunização desse grupo já havia sido autorizada pela Anvisa em 16 de dezembro, mas o ministro Marcelo Queiroga afirmou diversas vezes que a autorização da agência não era suficiente para iniciar a vacinação. “Não houve uma palavra de estímulo a campanha de vacinação de crianças”, afirma o infecto pediatra Renato Kfouri, representante da Sociedade Brasileira de Imunizações, e que foi entrevistado pelo Estadão Notícias.

A pasta da saúde aguardava consulta pública para liberação do imunizante às crianças. A maioria das pessoas e entidades ouvidas se opôs à necessidade de receita médica para imunização dessa faixa etária.

O imunizante que será utilizado é o da Pfizer. Segundo a farmacêutica, a vacina é segura e garante mais de 90,7% de eficácia na prevenção de infecções em crianças de 5 a 11 anos. O estudo acompanhou 2.268 crianças que receberam duas doses da vacina, com três semanas de intervalo. “O risco de miocardite em crianças é desprezível, inclusive menor do que em adolescentes”, destaca o infectologista Renato Kfouri.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, antecipou que cerca de 4 milhões de doses pediátricas da Pfizer chegarão ao Brasil na segunda quinzena deste mês. No Brasil tem aproximadamente 20 milhões de crianças nesta faixa etária, que estão aptas a serem imunizadas

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Jefferson Perleberg e Gabriela Forte

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.