Podcast: Bolsonaro x Militares: a relação azedou?

Por Jefferson Perleberg

14 de janeiro de 2022 | 00h10

O ano mal começou e o governo Bolsonaro voltou a ter atritos com sua ala militar. Desta vez quem reagiu ao presidente e suas acusações levianas contra a Anvisa, foi o almirante da Marinha, Antonio Barra Torres, também Diretor-presidente da agência. Ele cobrou retratação de Bolsonaro após questionamento público do presidente sobre qual seria o ‘interesse’ do órgão ao liberar vacina da covid para crianças.

O auge do enfrentamento aconteceu no dia 8 de janeiro, quando Torres divulgou nota cobrando de Bolsonaro uma retratação por declarações do presidente que questionavam supostos ‘interesses’ de integrantes da Anvisa em aprovar a vacinação de crianças contra covid-19. “Eu ouvi militares dizendo que Bolsonaro não deixou alternativa, ele insinuou que tem corrupção na Anvisa, ele (Barra Torres) não poderia deixar de responder”, destaca Eliane Cantanhêde, colunista do Estadão e da Rádio Eldorado, que participa hoje do podcast.

Já o presidente Bolsonaro afirmou que ficou ‘surpreendido’ com a carta dele e que a considerou ‘agressiva’. Embora promova um enfrentamento público contra a Anvisa, hoje liderada pelo militar da reserva, Bolsonaro não pode demiti-lo antes de 2025, de acordo com a legislação vigente.

E parece que até os militares estão perdendo a paciência com o presidente, já que é visto que o Exército emite diretrizes em perfeita discordância com o que o Bolsonaro prega o tempo todo na pandemia. O comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, condicionou o retorno dos militares ao trabalho presencial à vacinação contra a Covid-19. “Neste momento, a questão dos militares não é ideológica, é uma questão de que estão espantados com as obsessões pessoais do presidente”, conclui Eliane Cantanhêde.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Jefferson Perleberg e Gabriela Forte

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.