Podcast: Dá para recuperar o tempo perdido na educação?

Por Jefferson Perleberg

04 de janeiro de 2022 | 00h10

Uma das áreas mais afetadas pela pandemia no Brasil e que tem um enorme desafio pela frente em 2022, é a educação. O vácuo entre estudantes de baixa e alta renda ficou evidente. Enquanto uns migraram para as aulas online com suporte e apoio das instituições de ensino, outros tiveram que se contentar com atividades remotas de pouca qualidade.

Soma-se a isso, a guerra ideológica travada dentro da pasta no governo Bolsonaro, o que gerou uma série de problemas envolvendo funcionários de órgãos importantíssimos para a educação brasileira, como o caso do Inep, responsável por organizar e aplicar o Exame Nacional do Ensino Médio.

Um levantamento do Todos Pela Educação, revelou que cerca de 244 mil estudantes de 6 a 14 anos estavam fora das escolas brasileiras no segundo trimestre de 2021.

Para Priscila Cruz, a presidente-executiva do Todos Pela Educação, um dos maiores equívocos dos governos foi o fechamento completo das escolas por tanto tempo. “O Brasil foi um país com descontrole da pandemia, o que justifica um fechamento das escolas, mas não como foi feito, o tempo inteiro desde março do ano passado”, afirmou Cruz em entrevista ao podcast.

O descaso na vacinação dos professores pelo governo federal também contribuiu para o atraso nessa reabertura das instituições.

No episódio do Estadão Notícias desta terça-feira, 04, vamos conversar sobre os desafios da pandemia na educação brasileira e como será este cenário daqui para frente, com a presidente-executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, e com a repórter especial do Estadão, Renata Cafardo.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Ana Paula Niederauer.

Montagem: Moacir Biasi

Tudo o que sabemos sobre:

educacaoMECalunospandemiaescolas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.