Podcast: O que explica o prolongamento da guerra na Ucrânia?

Gustavo Lopes Alves

02 de maio de 2022 | 00h10

A aposta de que a guerra na Ucrânia poderia acabar rapidamente não se concretizou. Nas últimas semanas os tons se elevaram e o risco do conflito virar uma disputa mundial, aumentou. Líderes mundiais já trabalham com a hipótese da batalha que se instalou no leste europeu durar anos.

A guerra já deixou milhares de civis e soldados mortos, além de um fluxo de refugiados que já passa dos 5 milhões, o maior da história. As sanções impostas a indivíduos e à economia russa já afetam os suprimentos de comida e combustível no mundo todo e alguns países enfrentam aumento da instabilidade política.

A Rússia alertou que irá suspender o fornecimento de gás natural a todos os países que não efetuarem o pagamento dos contratos em rublos, moeda russa. A Polônia e a Bulgária já sofrem com a sanção. O produto é usado pelos russos para pressionar os países a parar de ajudar a Ucrânia. Esse corte de combustível da Rússia ocorreu um dia depois de os Estados Unidos e de pelo menos 40 países se comprometerem a armar o país “em longo prazo”. 

No episódio do podcast desta segunda-feira, 02, vamos falar sobre o quão longa pode se tornar a guerra na Ucrânia em uma conversa com o Roberto Goulart Menezes, professor de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UNB). Sobre questões técnicas de tropas e armamentos para manter uma guerra por tanto tempo, vamos bater um papo com o jornalista Roberto Godoy, especialista em questões militares.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim 

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e  Ana Paula Niederauer 

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.