Podcast: Pesquisas eleitorais: qual o impacto no pleito de 2022?

Podcast: Pesquisas eleitorais: qual o impacto no pleito de 2022?

Gustavo Lopes Alves

01 de março de 2022 | 00h10

Desde o ano passado, é perceptível um aumento expressivo no número de pesquisas eleitorais para a corrida presidencial deste ano. Por causa dessa quantidade de dados, há quem reclame do caráter negativo que elas podem trazer.

No ano passado, a Câmara dos Deputados elegeu esses levantamentos como um dos inimigos a serem atacados pelo Novo Código Eleitoral. Com a nova regra, pesquisas poderão ser divulgadas até a antevéspera, ou seja, até a última sexta-feira antes do dia da votação. Anteriormente, os institutos poderiam publicar pesquisas de intenção de voto até mesmo no dia da própria eleição.

Além disso, o texto determina que os institutos que fazem esses levantamentos informem um percentual de acertos das pesquisas realizadas pela entidade ou empresa nas últimas cinco eleições. Uma espécie de média de acerto.

Para captar as tendências de voto é necessário seguir critérios técnicos e metodológicos bastante rigorosos. É preciso, por exemplo, haver uma distribuição de sexo, faixa etária, nível socio-econômico, localização geográfica, que possam ser uma representação fidedigna da população em geral.

No episódio do podcast desta terça-feira, 01, vamos conversar sobre a importância das pesquisas para o cenário eleitoral com o jornalista de dados e editor da ferramenta de checagem, o ‘Estadão Verifica’, Daniel Bramatti.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Jefferson Perleberg e Ana Paula Niederauer

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.