Racha nas manifestações: a direita e a esquerda no “fora Bolsonaro”; ouça no ‘Estadão Notícias’

Racha nas manifestações: a direita e a esquerda no “fora Bolsonaro”; ouça no ‘Estadão Notícias’

Por Jefferson Perleberg

12 de julho de 2021 | 00h10

A última manifestação contra o governo de Jair Bolsonaro foi marcada pela presença de diferentes partidos do espectro político, todos com o mesmo objetivo, o pedido de impeachment do presidente. Porém, manifestantes do PSDB foram agredidos por integrantes do PCO durante um ato na Avenida Paulista. O ocorrido, foi visto dentro da organização da manifestação como um fato negativo, que pode afastar participantes das próximas marchas e inibir a diversidade ideológica.

Nos bastidores, há quem defenda que o PCO deveria ser expulso da organização das manifestações até os que defendem o diálogo para convencer a sigla a impedir violência de seus integrantes. Por causa desses conflitos, grupos que não pertencem ao espectro da esquerda decidiram promover seus próprios movimentos.

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Movimento Vem Pra Rua, que lideraram as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff em 2015, decidiram organizar um ato em conjunto contra o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o MBL, a manifestação a ser organizada por eles não deve contar com a adesão da esquerda, que tem promovido atos volumosos desde o início de maio. O protesto será realizado no dia 12 de setembro, a data foi divulgada em uma entrevista coletiva na Câmara dos Deputados.

Na semana passada, lideranças de direita, centro e esquerda protocolaram um superpedido de impeachment de Bolsonaro. Foram apontados 23 crimes que teriam sido cometidos por Bolsonaro desde que assumiu a Presidência da República. O novo pedido é o de número 125 na gaveta de Lira, mas a maioria chegou à Casa ainda na gestão de Rodrigo Maia. 

No episódio do Estadão Notícias, para avaliar esse possível racha no movimento contra o presidente Jair Bolsonaro, vamos conversar com a cientista política e professora da FGV, Graziella Testa. Também vamos ouvir depoimentos enviados ao podcast do presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, do deputado federal do PT, Paulo Teixeira, do coordenador nacional do MBL, Renato Battista, e do deputado estadual Arthur do Val.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Daniel Reis.

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.