Sai Toffoli, entra Fux: o que esperar? Ouça no ‘Estadão Notícias’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sai Toffoli, entra Fux: o que esperar? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

08 de setembro de 2020 | 00h05

No próximo dia 10 de setembro, o ministro Luiz Fux tomará posse como novo presidente do Supremo Tribunal Federal no lugar de Dias Toffoli. Com perfil mais discreto, o carioca de 67 anos pretende tirar a mais alta corte do País de polêmicas e discussões de cunho político. Defensor da Lava Jato, Luiz Fux deve preservar a operação de novas derrotas no plenário do STF. Ações que visam melhorar o combate à pandemia devem dominar os debates no Supremo. Mas, quem quiser trocar um “zap” com o novo presidente do STF vai ter que mudar seu método de comunicação, pois Luiz Fux não gosta de usar a tecnologia em assuntos relacionados ao trabalho.

Afinal, o que podemos esperar de Luiz Fux à frente do Supremo Tribunal Federal? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com o professor de Direito da FGV e coordenador do “Supremo em Pauta”, Rubens Glezer, e com a repórter do Estadão, em Brasília, Jussara Soares.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: