Sem Boeing e com crise global, o que será da Embraer? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Sem Boeing e com crise global, o que será da Embraer? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

30 de abril de 2020 | 06h00

Uma notícia atingiu em cheio o planejamento futuro de uma das empresas brasileiras mais importantes: a Embraer. A americana Boeing rompeu o acordo, que previa a aquisição de parte da aérea, por mais de 4 bilhões de dólares. A perda do investimento é só um dos problemas que a Embraer terá que enfrentar em um mercado que se tornou muito competitivo com a fusão de outras companhias. A empresa brasileira promete ir à justiça contra Boeing para rever o que gastou com a venda. Por outro lado, existe o interesse dos chineses em ocupar o espaço deixado pela aérea americana. Afinal, qual o futuro da Embraer? O negócio com a estatal chinesa é a melhor saída?

Na edição de hoje, vamos conversar sobre este assunto com a repórter de Economia e Negócios do Estadão, Luciana Dyniewcz, e com o repórter especial do Estadão, Roberto Godoy. No quadro “Fique em Casa”, Renata Cafardo entrevista Márcia Barbosa, física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, sobre como está encarando o período de quarentena e autoisolamento.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.