Só Pfizer interessa? Entenda o fenômeno do ‘sommelier de vacina’; ouça no ‘Estadão Notícias’

Só Pfizer interessa? Entenda o fenômeno do ‘sommelier de vacina’; ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

10 de junho de 2021 | 00h10

Quando o assunto é escolher um bom vinho a busca por um sommelier, especialista da área, pode auxiliar na hora da compra. Mas quando se trata de um imunizante contra a covid-19, a escolha deve ser: a vacina que está disponível na UBS. Em algumas cidades como São Paulo, Porto Alegre e Balneário Camboriú, há relatos de muitas pessoas querendo optar por algum imunizante específico, são os chamados ‘sommelier de vacina’.

No país já são três vacinas disponíveis aos brasileiros, a Coronavac, a vacina de Oxford/AstraZeneca e a da Pfizer. Também está prevista para as próximas semanas um lote do imunizante da Janssen, que é de dose única.

A chegada da vacina da Pfizer ao País, no fim de abril, fez com que parte dos brasileiros aptos a se vacinar tenham recusado outros imunizantes disponíveis nas unidades de saúde, como a vacina de Oxford e a Coronavac. Um dos principais argumentos é a eficácia maior dessa vacina e o fato dela ser aceita em caso de viagens para os Estados Unidos e Europa.

Outro motivo apontado é o relato de reações adversas, principalmente, com a vacina da Oxford/AstraZeneca. Porém é importante lembrar que essas reações já foram tidas como normais, e que elas acontecem com outras vacinas também, como a da gripe, por exemplo.

Além disso, nas redes sociais e em grupos de aplicativos de mensagens, diversas fake news sobre vacinas são diariamente compartilhadas, o que gera desinformação e desconfiança para os imunizantes. Entretanto, todas as vacinas que estão disponíveis no Brasil já passaram por testes que comprovam segurança e eficácia contra o novo coronavírus, e suas aplicações são autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

No episódio de hoje, vamos ouvir o relato de profissionais da saúde que encararam essa recusa de imunizantes. Para esclarecer dúvidas sobre a vacinação conversamos com a Médica Alergista e Imunologista Clínica do Hospital Sírio Libanês, Dra. Fanny Dantas de Lima. E para desmentir as publicações enganosas sobre vacina, mais compartilhadas nas redes, falamos com a Alessandra Monnerat, repórter do Estadão Verifica, o núcleo de checagem de fatos do Estadão. Ainda ouvimos o depoimento do prefeito da cidade de Balneário Camboriú, que precisou entrar com uma campanha para convencer os moradores a aceitar qualquer uma das vacinas disponíveis.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Emanuel Bomfim

Produção/Edição: Gustavo Lopes,  Julia Corá, Ana Paula Niederauer, Jefferson Perleberg  e Taísa Medeiros

Sonorização/Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.