Vale tudo por uma vacina? Ouça no ‘Estadão Notícias’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vale tudo por uma vacina? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Gustavo Lopes Alves

12 de agosto de 2020 | 00h05

A forma mais rápida de se chegar a uma vacina contra o novo coronavírus pode esbarrar em questões éticas. Normalmente, essas pesquisas levam anos e cumprem várias etapas. Na última delas, quando são testadas em um grande número de humanos, a prova da eficácia da vacina depende do contato natural dos voluntários com a doença. Agora, cientistas defendem infectar pessoas, propositalmente, para acelerar a comprovação de que um imunizador funciona contra a covid-19. A organização americana 1DaySooner, defensora desse tipo de estudo, recebeu o apoio de mais de 150 cientistas, e já conta com mais de 32 mil voluntários, entre eles, 9 mil brasileiros.

Afinal, o que pensam as entidades médicas responsável pela parte ética da medicina e das pesquisas cientificas? Depois de um imunizador, o problema estará resolvido? Na edição de hoje, conversamos sobre o assunto com a repórter do Estadão, Fabiana Cambricoli, e com o Dr. Raul Canal, presidente da Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética.

OUÇA O ‘ESTADÃO NOTÍCIAS’ TAMBÉM NO YOUTUBE

Todas as edições deste podcast também são publicadas no canal do Estadão no Youtube. Para ouvir gratuitamente nesta plataforma, é só clicar aqui.

ESTAMOS DISPONÍVEIS NA DEEZER!

Os podcasts do Estadão são oferecidos para consumo gratuito no serviço de streaming Deezer. Para ouvir, basta fazer o login na plataforma. Uma vez logado, é só colocar no campo de busca o nome do programa (“Estadão Notícias”) que você terá acesso imediato a todo nosso histórico de publicações. Você também pode acessar diretamente clicando neste link.

OUÇA TAMBÉM NO SPOTIFY!

Os podcasts do Estadão também são oferecidos para consumo gratuito na plataforma de streaming Spotify. Para acessá-lo e passar a segui-lo, basta digitar o nome do programa (“Estadão Notícias”) no campo de busca. Ou pode clicar diretamente neste link.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: