Vamos precisar de dose extra da vacina contra a covid em 2022? Ouça no ‘Estadão Notícias’

Rafaela Barbosa, especial para o Estadão

22 de julho de 2021 | 00h10

A aplicação de uma terceira dose da vacina contra contra covid-19 vem sendo defendida em alguns estados e municípios. O governo paulista planeja começar a revacinação da população adulta em janeiro de 2022, um ano após a aplicação da primeira vacina no País. A expectativa é de que a imunização contra covid-19 tenha um calendário similar ao da gripe comum, que precisa ser reaplicada anualmente para garantir a proteção.

O secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, informou ao Estadão que a ordem de vacinação deverá seguir a mesma ordem de prioridade do primeiro ciclo de imunização. A aposta do governo de São Paulo é na utilização da Butanvac, ainda em testes, como imunizante principal.

A Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Butantan, também pode fazer parte do planejamento da terceira dose da vacina. A escolha pelos dois imunizantes é pela facilidade de produção completa no território nacional, sem a necessidade de importação do ingrediente farmacêutico ativo (IFA).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também autorizou esta semana um estudo clínico para avaliar a eficácia de uma terceira dose da vacina contra covid-19 da vacina AstraZeneca.

No episódio do Estadão Notícias de hoje, vamos falar sobre o anúncio do calendário da terceira dose da vacina contra a covid-19 no Estado de São Paulo, e como ficará o restante do país, com a repórter do Estadão, Fabiana Cambricoli, que acompanha o assunto.

O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência.

Apresentação: Gustavo Lopes

Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Rafaela Barbosa

Montagem: Moacir Biasi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.