Coppe-UFRJ ajuda atletas brasileiros na preparação para Jogos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coppe-UFRJ ajuda atletas brasileiros na preparação para Jogos

Sistema de monitoramento das correntes marinhas e ventos já apoia competidores de esportes náuticos em evento-teste de vela

Redação

17 Agosto 2015 | 16h00

Atletas brasileiros que participam desde o último sábado, 15, do segundo evento-teste da vela para os Jogos Olímpicos de 2016 na Baía de Guanabara, no Rio, estão recebendo dados sobre a velocidade e a direção de correntes marinhas e dos ventos, além da altura e da direção das ondas nos locais de competição, em tempo real. Com base nas informações, competidores e treinadores poderão planejar, com mais precisão, estratégias que resultem em melhor desempenho na disputa pelas medalhas olímpicas.

Sistema coleta, em tempo real, dados sobre a velocidade e a direção de correntes marinhas e dos ventos para atletas (Foto: Fábio Motta/Estadão)

Sistema coleta, em tempo real, dados sobre a velocidade e a direção de correntes marinhas e dos ventos para atletas (Foto: Fábio Motta/Estadão)

A dinâmica marinha e atmosférica dos locais de competição da Regata Internacional de Vela 2015, que ocorre até o dia 22, está sendo monitorada por pesquisadores do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), por meio de parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB).

O sistema já havia sido avaliado pelos velejadores brasileiros no primeiro evento teste da modalidade, em agosto de 2014. Nesta semana, competidores da Maratona Aquática, que ocorre na praia de Copacabana nos dias 22 e 23 de agosto, também irão utilizar o monitoramento. Durante os Jogos Olímpicos 2016, os dados irão auxiliar atletas brasileiros nas categorias Vela, Canoagem de velocidade, Maratona Aquática, Triatlo (prova de natação) e Remo.

Dados irão auxiliar atletas brasileiros nas categorias Vela, Canoagem de velocidade, Maratona Aquática, Triatlo e Remo (Foto: Fábio Motta/Estadão)

Dados irão auxiliar atletas brasileiros nas categorias Vela, Canoagem de velocidade, Maratona Aquática, Triatlo e Remo (Foto: Fábio Motta/Estadão)

Além da Baía de Guanabara e da praia de Copacabana, o sistema desenvolvido por pesquisadores do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) da Coppe também fornecerá dados da Lagoa Rodrigo de Freitas. As previsões de vento são disponibilizadas de uma em uma hora, e as de correntes marinhas, de dez em dez minutos.

Duas estações meteorológicas, uma na Baía de Guanabara e outra na Lagoa Rodrigo de Freitas, disponibilizarão dados sobre a direção e a velocidade do vento, temperatura do ar, pressão atmosférica e umidade. Para os atletas que competirão nas provas de natação, o sistema fornecerá medidas de temperatura da água do mar de Copacabana, onde serão realizadas as provas.

Mais conteúdo sobre:

Jogos OlímpicosOlimpíadaRio 2016