Eleito reitor da UFRJ, Roberto Leher pedirá mais recursos ao MEC
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Eleito reitor da UFRJ, Roberto Leher pedirá mais recursos ao MEC

Professor da Faculdade de Educação, vencedor da eleição em segundo turno chamou atenção para a "situação financeira muitíssimo difícil" da maior universidade federal do País

Luciana Nunes Leal

08 Maio 2015 | 19h31

O professor da Faculdade de Educação Roberto Leher, de 54 anos, foi eleito novo reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 13.377 votos (9.538 de alunos, 2.706 de técnicos e 1.133 de professores). A eleição foi disputada em segundo turno com a professora do Instituto de Biofísica Denise Pires, que teve 6.580 votos (2.824 de alunos, 1.905 de técnicos e 1.851 dos professores). Como o peso dos votos de professores, técnicos e alunos são diferentes, um sistema de ponderação indicou o vencedor, na tarde desta sexta-feira, 8.

Roberto Leher tem 54 anos e é filiado ao PSOL Foto: Divulgação / UFRJ

Roberto Leher tem 54 anos e é filiado ao PSOL Foto: Divulgação / UFRJ

Leher formou-se em Ciências Biológicas na UFRJ em 1984. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e doutor em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (USP). O professor é filiado ao PSOL, partido do qual foi fundador.

Após a vitória, Leher comentou a “situação financeira muitíssimo difícil” da UFRJ e disse que a primeira medida da nova gestão será negociar um novo orçamento para a universidade, a maior federal do País, com 62.240 alunos.
O orçamento aprovado pelo conselho universitário para 2015 é de R$ 438,4 milhões. Em 2014, foram contingenciados (retidos) R$ 70 milhões de recursos federais para a universidade.

“Temos que estabelecer, com a Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições de Federais de Ensino Superior) e o Ministério da Educação uma repactuação do orçamento de 2015. Muitos reitores comentam que dificilmente as universidades poderão estar funcionando adequadamente a partir de setembro, em virtude das restrições orçamentárias. A saída para isso será um orçamento suplementar”, disse Leher em entrevista à assessoria de imprensa da UFRJ.

O futuro reitor prometeu buscar uma saída para o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, que funciona em situação precária, e fazer um plano de investimento que permita recuperação dos câmpus da Cidade Universitária, na zona norte, e da Urca, na zona sul.

A formalização do nome do novo reitor cabe ao Ministério da Educação, que receberá uma lista tríplice. A praxe é a escolha do mais votado.

Mais conteúdo sobre:

reitorUFRJ.eleição