Food trucks conquistam os cariocas e poderão circular nas ruas do Rio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Food trucks conquistam os cariocas e poderão circular nas ruas do Rio

Prefeitura do Rio cederá vagas de estacionamento em áreas públicas, mas food trucks já atuam em eventos em espaços privados

Redação

06 de julho de 2015 | 14h50

Por Danielle Villela

Habituados a comer e beber ao ar livre em quiosques na beira da praia e bares com mesas na calçada, os cariocas aderiram à moda dos food trucks, na sequência do sucesso do segmento em São Paulo. Embora tenham sido regulamentados há apenas 20 dias pela prefeitura, cerca de 60 food trucks vêm atuando no Rio desde o fim de 2014, em eventos realizados em espaços privados, informa a Associação de Comida Artesanal Sobre Rodas (Acaso-RJ).

Eventos com food trucks atraem até 10 mil pessoas em várias regiões do Rio (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Eventos com food trucks atraem até 10 mil pessoas em todas as regiões do Rio (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Apenas neste último fim de semana, dois eventos atraíram um público médio de 10 mil pessoas cada. Com edições mensais, a Feira Planetária reuniu 30 food trucks no Planetário da Gávea, na zona sul, no sábado, 4,  e domingo, 5. Já na Barra da Tijuca, na zona oeste, o evento Chef Mix Gourmet levou 12 food trucks e nove food bikes ao estacionamento de um shopping entre quinta-feira, 2, e domingo, 5. No Méier, zona norte, o ZN Food Truck atraiu cerca de 4 mil pessoas em média por dia na última edição, nos dias 27 e 28 de junho.  “É uma grande novidade. O público tem acesso a diversas opções de comida e bebida. É programa para a família toda, agrada dos 8 anos aos 80”, afirmou Patrícia Metre, organizadora do Chef Mix Gourmet.

Em caminhões, vans, kombis e trailers adaptados, os food trucks cariocas oferecem risotos, massas, crepes, empanadas, culinária japonesa, mexicana, francesa e árabe, além de versões gourmet de clássicos da comida de rua, como hambúrgueres e cachorros quentes. Há ainda carros especializados em doces e bebidas artesanais, como vinhos e chopes.

Food trucks oferecem todos os tipos de cardápio no Rio (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Food trucks oferecem todos os tipos de cardápio no Rio (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

“Há ofertas mais sofisticadas e mais democráticas. O food truck não se reduz à gourmetização da van do cachorro quente”, diz Fernando Modenesi, membro do conselho da Acaso-RJ e dono do food truck Frites, que serve batata frita artesanal desde março deste ano.

O setor tem atraído chefs renomados como Roberta Sudbrack, premiada pelo Guia Michelin. “Não vejo no mundo uma cidade melhor do que o Rio para acolher a ideia dos food trucks. O restaurante é alta gastronomia. No SudTruck é comida de rua, simples, descomplicada e rápida”, afirmou Roberta, que desde janeiro deste ano serve cachorro quente e bolo molhado de chocolate amargo no SudTruck, estacionado em um shopping em São Conrado, na zona sul.

Com regulamentação, Prefeitura cederá vagas de estacionamento para os trucks (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Com regulamentação da Prefeitura, food trucks cariocas poderão circular nas ruas em vagas rotativas (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Após o decreto em 16 de junho que regulamenta os food trucks, a Prefeitura do Rio fará a concessão de 87 vagas de estacionamento em áreas públicas delimitadas em 26 bairros. O contrato vigorará por um ano, pelo valor de R$ 680 mensais. Os empresários têm até 10 de julho para se inscrever para o sorteio das vagas. Os food trucks poderão funcionar das 8h às 2h do dia seguinte, com permissão para usar mesas e cadeiras, mas não poderão ficar na mesma vaga mais de uma vez por semana, podendo atuar em quatro a sete endereços diferentes. A prefeitura determinou ainda que, ao fim de cada expediente, os food trucks sejam retirados das vagas, deixando a área completamente limpa.

Uma das pioneiras do setor no Rio e também membro do conselho da Acaso-RJ, Andreia Constantino comemora o sistema. “Os eventos são alternativa à falta de regulamentação, mas nossa meta é a rua”, disse a proprietária do Nômade Truck, que desde agosto de 2014 tem como carro-chefe o sanduíche Cubano, com pernil desfiado marinado, queijo e molhos no pão de ciabatta.

Empresários do setor comemoram permissão de estacionar os trucks em espaços públicos (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Empresários do setor comemoram permissão de estacionar os trucks em espaços públicos (Foto: Wilton Júnior/Estadão)

Para Modenesi, os eventos continuarão mesmo com as vagas na rua. “As feiras reúnem vários food trucks em um mesmo lugar e o cliente vai como experiência de lazer e entretenimento”, afirmou o proprietário do Frites, que já tem todos os fins de semana de julho e os dois primeiros de agosto comprometidos. “O desafio maior é preencher os dias de semana enquanto a permissão para atuar na rua não sai”, observa.

Mesmo com o decreto da prefeitura, ainda tramita na Câmara Municipal o projeto de lei 808/2014, que dispõe de regras para os food trucks. “O decreto pode ser revogado e uma lei dará mais segurança e reconhecimento para o segmento, que é a cara do Rio e do carioca”, diz Katia Watts, coordenadora Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio (SindRio).

Mais conteúdo sobre:

food truckgastronomialazer