Novo túnel vai mudar trânsito do Rio a partir deste domingo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Novo túnel vai mudar trânsito do Rio a partir deste domingo

Obra de 1,4 km de extensão deve receber 55 mil carros por dia e reduzir em 50% tempo de deslocamento entre centro e zona norte

Carina Bacelar

26 de fevereiro de 2015 | 19h01

No próximo domingo, quando o Rio vai completar 450 anos, será inaugurado no centro da cidade o Túnel Rio 450, em cerimônia com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT). O prefeito Eduardo Paes (PMDB) vistoriou a obra nesta quinta-feira (26). Ele disse que o túnel é um “retorno” à população depois dos transtornos no trânsito causados pelo conjunto de obras do projeto Porto Maravilha, como é chamada a revitalização da região portuária.
“A gente começa a ter um pouco de retorno para o sacrifício que temos imposto aos cariocas. Tem sido um período difícil de mobilidade. A cara dos 450 anos é que a gente não quer que a cidade continue fugindo dos seus problemas. E a revitalização do porto é o enfrentamento de um dos problemas da cidade”, afirmou.

tunel blog

Inauguração será no dia em que o Rio completa 450 anos (Autor: Marcos de Paula/Estadão)

O túnel começou a ser construído em outubro de 2012, com 1,4 km de extensão e capacidade para a passagem de 55 mil carros por dia. Ligará a rua Primeira de Março, na região da praça Mauá, à Via Binário, na altura da Gamboa. O túnel é o primeiro da cidade abaixo do nível do mar, chegando a 40 m de profundidade em alguns trechos. Deverá reduzir em 50% o tempo de deslocamento para quem deixa o centro em direção à zona norte, informou a Secretaria de Transportes.
Com o novo túnel haverá mudanças no tráfego na região central a partir de domingo, incluindo a interdição total da avenida Rodrigues Alves, na zona portuária, e a mudança de sentido em diversos trechos de ruas. Cinquenta linhas de ônibus intermunicipais terão seus trajetos alterados. O prefeito prevê que a segunda-feira será “um dia mais complexo”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.