Por enquanto, Chaplin não curtiu o futebol carioca no Brasileirão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por enquanto, Chaplin não curtiu o futebol carioca no Brasileirão

Flamengo, Fluminense e Vasco patinam neste início de campeonato

Marcio Dolzan

18 Maio 2015 | 15h55

Eu passava por um boteco em Copacabana, no fim da tarde de domingo, quando uma cena me chamou a atenção. Sentado junto ao balcão, alguém com rosto pintado de branco, chapéu coco, camisa branca e terno preto. Não vi a bengala de bambu, mas nitidamente era alguém fazendo cosplay do Chaplin.

O Chaplin de Copacabana estava abatido. Um copo a sua frente – que, de longe, não identifiquei se de pinga ou cerveja – repousava solitário. Mesmo rodeado por dois ou três caras, o Chaplin estava sozinho. Alguém até tentava conversar com ele, mas o Chaplin da zona sul carioca nem fazia questão de esconder que não dava à mínima. Ele apenas erguia a cabeça para olhar à TV e logo baixava para olhar o copo.

Chaplin assiste jogo do Flu no boteco. Futebol carioca sem cores até aqui (Foto: Marcio Dolzan/Estadão)

Chaplin assiste jogo do Fluminense em boteco de Copacabana. Por enquanto o futebol carioca é sem cores e sem foco no Brasileiro (Foto: Marcio Dolzan/Estadão)

A sua volta, o pessoal demonstrava abatimento semelhante. Um, com um copo de cerveja na mão e a camisa do Fluminense cobrindo sua barriga protuberante, ainda tentava fazer piada. Mas ninguém além dele mesmo esboçava um sorriso. Não dava pra sorrir naquele boteco. Porque aquele boteco transmitia o jogo do Fluminense em Brasília, e o Fluminense em Brasília já perdia do Atlético-MG por 3 a 0 àquela altura. O jogo acabaria 4 a 1.

A poucos quilômetros dali, naquele mesmo momento, o Flamengo passava por maus bocados no Maracanã. Levava 2 a 0 do Sport e mal conseguia esboçar uma reação. Lá pelas tantas, descontou. E nos acréscimos, no apagar das luzes de ribalta, arrancou um empate diante de um time que não tinha mais nem o goleiro em campo.

Algumas horas mais cedo, em Santa Catarina, o Vasco campeão carioca fizera seu segundo jogo na Série A e empatara pela segunda vez consecutiva. O time ainda não marcou nenhum gol no Brasileiro – e pelo simples fato de não ter feito por merecer.

Fluminense, Flamengo e Vasco disputaram, juntos, 18 pontos no Brasileiro. Desses, os clubes conquistaram apenas seis, um aproveitamento digno de briga contra o rebaixamento. Tudo bem que é ainda segunda rodada e que a competição não engrenou, mas o futebol apresentado até aqui entristece a todos.

Entristeceu até o Chaplin, coitado.