As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Seminário debate história do Rio republicano

Museu da República sedia série de palestras sobre o papel da capital

Redação

23 Março 2015 | 17h20

O Museu da República inicia nesta terça (24/3) uma série de palestras sobre as singularidades do Rio na História do Brasil República. Organizado pela historiadora Maria Helena Versiani, as seis exposições são inspiradas em períodos históricos a partir da Proclamação da República, em 1889.

 

Programa

24/3 – Terça

15h15 a 16h30 – A Pequena África e a cidade – Luiz Antônio Simas.

“Os primeiros governos republicanos criminalizaram as diversas manifestações da cultura popular no Rio de Janeiro”.

16h45 – O Rio de Janeiro e a Reação Republicana – Marieta de Moraes Ferreira.

“A Reação Republicana foi um movimento político que lançou a candidatura oposicionista de Nilo Peçanha à Presidência da República em 1922. Produziu forte polarização e mobilização política, tendo como palco principal a cidade do Rio de Janeiro”.

25/3 – Quarta

15h15 – 16h30 – O Patrimônio Cultural da cidade na Era Vargas – Paulo Knauss.

“Na Era Vargas, a cultura ganhou um lugar central na construção do estado nacional e definiu o Rio de Janeiro como laboratório da cultura nacional”.

16h45 a 18h – Rio de Janeiro: história e desafios de uma economia regional – Mauro Osório.

“A cidade do Rio de Janeiro foi a Capital do Brasil durante quase duzentos anos e constituiu-se como a referência política, cultural, intelectual e de representação da nacionalidade”.

26/3 – Quinta

15h15 a 16h30 – Um golpe a favor do clientelismo – Maria Helena Versiani.

“O golpe de 64 e as cassações influenciaram decisivamente para que ganhasse força particular no território carioca um padrão de fazer política marcadamente clientelista e reforçador das desigualdades sociais”.

16h45 a 18h – Eficiência das pessoas portadoras de deficiência – a história da escola de samba Embaixadores da Alegria – Paul Davis.

“O Rio de Janeiro tem importante expertise institucional na área de acessibilidade, porém, tal expertise não se reflete em uma melhor qualidade de vida para os portadores de deficiência física na cidade. Assim, iniciativas como a criação da Escola de Samba Embaixadores da Alegria são importantes ações de resistência e de compromisso com a cidadania”.

 

Local: Auditório do Museu da República – Rua do Catete, 153 – Metrô Catete

Inscrições gratuitas no local ou pelo email maria.versiani@museus.gov.br

Mais conteúdo sobre:

450 anosEconomia do Rio