A inovação depende da união da sociedade, das empresas e do governo

A inovação depende da união da sociedade, das empresas e do governo

Paulo Silvestre

18 de setembro de 2019 | 09h12

A inovação se tornou chave para o desenvolvimento de qualquer país. Em um cenário internacional de alta competitividade, destaca-se aquela que valoriza sua cultura e recursos com tecnologia e educação.

O melhor exemplo é a China. Até algumas décadas atrás, o país tinha vocação agrária e um sistema político-econômico fechado para o mundo. O governo passou então a incentivar uma forte industrialização. Em um primeiro momento, criou-se uma poderosa indústria de reprodução, com foco em volume e preço. Apesar de ter criado a imagem de produtos baratos e de baixa qualidade, foi fundamental para uma sólida base de produção. Hoje puxam a fila da inovação.

O país ocupa a 14ª posição no Índice Global de Inovação, organizado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual, Instituto Europeu de Administração de Empresas e pela Universidade Cornell. Nesse ano, passou o Japão! O Brasil, por outro lado, caiu duas posições, da já modesta 64ª para 66ª, de um total de 129 países.

Sobre os caminhos para a inovação, conversei com Thiago Zambotti, diretor-geral da Honeywell no Brasil, no Innovation Brazil Leaders Forum, que aconteceu em São José dos Campos.

Confira a conversa abaixo. E depois compartilhe nos comentários o seu caminho para a inovação.


 

 

Tendências: